ANO NOVO INDIANO


DIWALI - FESTIVAL DAS LUZES
9 de novembro


Na Lua Nova do mês de Outubro até a Lua Nova de Novembro é realizado o FESTIVAL DIWALI ou DIPAVALLI, também conhecido como FESTIVAL DAS LUZES. É a maior celebração da Índia, as casas são pintadas com antecedência por acreditar-se que LAKSHIMI, a deusa da Riqueza e da Prosperidade, visita e abençoa as casas limpas e iluminadas, de forma que cada um procura acender o maior número de lâmpadas e velas para a Prosperidade entrar na sua casa. LAKSHIMI, a deusa da Fortuna é adorada e reverenciada por todos, principalmente pelos empresários e comerciantes. Belíssima, a sua beleza é comparada com a de Vênus, como também é considerada a esposa ideal pelo seu amor e dedicação. Sua imagem é sempre representada sobre uma flor de lótus, símbolo da pureza e tem uma das mãos levantada em postura de bênçãos de prosperidade. Ela é considerada o aspecto feminino de Deus em todas as suas manifestações.
Considerando conhecimento, amor e discernimento como Luz, que o nevoeiro da ignorância, desamor e egocentrismo procuram ofuscar, vem o Esplendor da Mãe Divina Lakshimi e a Misericórdia de Deus para sempre dissipá-lo, para que a Luz volte a brilhar e sustentar a vida no planeta. Lakshimi, a energia da Mãe Divina que nos alimenta com beleza, harmonia e prosperidade, visita nossas casas e nossos corações. Ela chega derramando sobre a humanidade a abundância, despertando solidariedade, companheirismo, reverência e serviço devotado.
É um Festival que comemora a Expansão da Luz como vida, e a expansão da Luz é a essência do Amor. A luz de uma só lamparina pode acender milhares de outras, sem perder o seu brilho, assim como o Amor quanto mais é oferecido mais dele é abastecido quem o oferece. Onde a lamparina do Amor estiver iluminando, o Amor se manifesta propiciando Luz a partir da Divina Presença. Nossa chama interior, a divina semente de Luz e Sua refulgência, unifica o espírito e a matéria. Diwali nos lembra que a centelha divina em nossos corações deve sempre permanecer brilhante e pura, inspirando nossos pensamentos, palavras e ações. Vamos comemorar Diwali celebrando a renovação da vida e a abertura de um tempo de fartura de saúde, amor e realizações prósperas para nossa família, nosso país e toda a humanidade. Juntos somos sempre mais fortes e melhores.

A celebração é repleta de história e vários significados, um deles indica o retorno de Rama e Sita, reencarnações de Vishnu, deus sustentador do universo, e de Lakshmi, que foi resgatada das mãos do demônio Ramavana. Esses deuses só conseguiram enxergar o caminho de volta porque o povo deixou a floresta toda iluminada.

Por este motivo, as casas recebem durante os cinco dias de comemorações muitas luzes e incensos. São limpas e decoradas com lamparinas de óleo. À noite familiares e amigos trocam presentes ao redor de muita música e pratos típicos, além de estourar fogos de artifício com a intenção de destruir as forças do mal, justamente como seu viu nos capítulos de Caminho das Índias.

"Aqui no Brasil, as comemorações são mais tímidas, geralmente em um dia só. Mas a festa sempre começa com um puja (oferendas) à Ganesha, e no desenrolar da noite há muita dança, música e teatro, além de entoação de mantras, sempre com lamparinas acesas. Há ainda a encenação das partes do Ramayana, semelhante à Paixão de Cristo",

No Primeiro dia são feitas orações à deusa Lakshimi para pedir prosperidade no ano que se inicia. Já na manhã do segundo dia, chamado de Chhoti Diwali ou pequeno Diwali, as mulheres se ocupam em fazer bonitos e coloridos Rangolis na entrada das casas. São mandalas coloridas feitas de areia tingida", explica a diretora.

O terceiro dia é considerado o mais auspicioso e dedicado ao apaziguamento de Lakshmi, por isso a casa fica extremamente arrumada e iluminada, pois a deusa gosta de limpeza. Há também a explosão de fogos de artifício nas ruas.

"O dia seguinte ao Amavasya é conhecido como Gudi Padwa, um símbolo de amor e devoção entre a mulher e o marido. Neste dia, recém-casados e filhas com seus maridos estão convidados para refeições especiais. As esposas aplicam tilakan vermelho em seus maridos como símbolo de amor eterno e fazem orações pedindo saúde e longa vida aos seus companheiros".

Fonte: caminhosdeluz.org/vilamulher.terra.com.br

-----------------------------------------------------

Axé
Ivanih Bianco
19-3462-9248

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Qual a diferença entre " Oração e Prece "

Frases Budistas - Medite - Parte 01

Rezadeiras - Rezas que afastam o mal.