VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Minha mãe não me conhece


Blog da Esotérica Ivanih Bianco
Consultas com hora marcada, pessoalmente ou por telefone (Pagamento por depósito bancário) Ligue e marque seu horário:19-3462-9248
Americana-SP


A vida muitas vezes nos prega peças que nem o tempo faz superar, as alegrias recebidas dos pais, os ensinamentos, a direção da própria vida passa pela gente como um vento, as marcam ficam em cada dia, em cada gesto, em cada canto.
A velhice chega à todos, e para muitos chega antes do tempo sem mesmo avisar, as doenças ingratas muitas vezes fazem a família se tornar estranhas.
É muito difícil quando nos deparamos com nossos pais doentes, seja uma simples dor ou até mesmo uma doença mais grave e digamos assim muito degenerativa como o mal de Alzaihmer. pois é difícil enxergarmos aquela mãe ou aquele pai que semore nos guiou, nos educou e até mesmo nos levava á escola. Agora com o passar do tempo sendo ele ou ela a viver um mundo só dele(a) e o que é mais difícil é a maioria dos filhos entenderem que eles precisam cada vez mais de amor.
Os filhos de hoje se limitam muito ao cuidar dos pais, porque a vida de hoje é mais cheia de atrativos e ninguém gosta de perder nada, mais e quando éramos crianças choronas que muitas noites dávamos trabalhos com catapora e sarampo, ou mesmo por algum capricho chorávamos para que eles ficassem ao nosso lado? Será que os filhos de hoje conseguem ficar em casa cuidando de seus pais? Apenas um final de semana com carinho, com aquele mesmo amor que um dia recebeu? Será que conseguem amar pelo menos um pouco sem fazer com que eles se sintam estorvos na vida? Será que conseguem dizer “amo você meu pai ou minha mãe”, será que eles vão dar pelo menos um pouquinho do que receberam? Ah! Porque tudo é muito difícil e amor de mãe e de pai não existe igual quando ele é realmente verdadeiro.
Amigos! A velhice hoje é chamada de melhor idade, pois estes mesmos são nossos espelhos, são eles que estenderam os tapetes para nós pisarmos, é muito dolorido ver filhos que cuidam de seus pais por obrigação esquecendo do amor que um dia receberam, essa doença é ingrata sim, ela nos faz sentir ninguém porque é muito doloroso ver sua mãezinha ao seu lado e dizer: “eu te conheço? Quem é você?”.
São tantas perguntas que naquela cabecinha tão culta que um dia fez de tudo e hoje vive na sombra de suas perguntas que muitas vezes sem resposta, e vocês filhos, ame-os cada vez mais, pensem assim: “você me fez, mãe querida e quero estar do seu lado te dando um pouco daquilo que me ensinou mesmo quando eu ainda não sabia quem era”, e se por ventura tiver irmãos que não ajudem deixe para lá, faça você sua parte, dê amor e carinho, jamais se esquecendo que dar amor e receber também é muito Divino. Dizer a sua benção minha mãe ou meu pai, é gratificante, é como se alimentasse nossa alma, cuide-os deles sim, distribua esse amor que tem dentro de você e com certeza sua vida será mais completa e feliz, a paciência você adquire com o amor que Deus te dá. PENSE NISSO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário