VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

O pedido: A melhor forma de pedir a Deus


Blog da Esotérica Ivanih Bianco 

Consultas com hora marcada, pessoalmente ou por telefone (Pagamento por depósito bancário) Ligue e marque seu horário:19-3462-9248 
Americana-SP

É típico dos povos ocidentais a prática de pedidos de favores terrestres a Deus. Quando o homem não consegue com suas próprias mãos, Deus é visto como a última instância para a realização dos seus desejos. Mas há vezes que o homem não tem disposição para lutar pelo que deseja e vai logo à última instância. É chegada a hora de fazer o pedido. Uns ajoelham-se aos pés das imagens de santos ou cruzes e fazem seus pedidos, alguns deles chegam até a fazer promessa: se Deus realizar seu desejo promete pagar com um ano de abstenção a determinado alimento, ou rezar tantos Pais Nossos, ou ainda subir a escadaria da igreja de joelhos. Está tudo errado!
Em primeiro lugar Deus não é anão; por que falar com Deus de joelhos? Não é ficando de joelhos que alcançamos o coração de Deus; é com a retidão de caráter e um coração amoroso. Em segundo lugar Deus não é o empresário dos céus para negociar milagres; Deus não nos quer em forma de sacrifício, ele nos quer justos e amáveis. Bem, mas feito o pedido com fervor a Deus, esperamos em curto prazo de tempo a sua efetivação, afinal lhe prometemos algo! Se o pedido não é atendido de imediato, nos desesperamos e indagamos: Por que Deus não nos atende?
Pedir a Deus não é pecado; pecado é tentar negociar nossa estupidez de igual para igual com a sua infinita bondade. Nós sabemos o que queremos, mas é Deus que sabe o que é melhor para a gente. Se pedimos a Deus e não somos atendidos é porque a conquista nos levaria à infelicidade. Nossa visão é limitada ao presente e Deus nos vê simultaneamente ontem, hoje e amanhã. Deus nos ama e só quer o nosso bem, então Ele não vai ceder aos nossos desejos inconseqüentes. Ainda que fiquemos chateamos, Ele prefere assim a nos ver mecânicos da nossa própria desgraça. Isto funciona igual a relação terrestre entre pais e filhos. Qual o pai daria um revólver de verdade a um filho que mal aprendeu a andar e falar?
Mas diante da negativa de um pedido a Deus, não nos desencorajemos para a vida, sigamos em frente. Saibamos esperar a definição do próximo quadro de nossa vida, por que aí, com certeza, veremos que nosso pedido estava na contramão. A decepção com Deus irá se transformar em gratidão; agradeceremos a Ele por não ter cedido à nossa ignorância. Saibamos pedir a Deus, deixando-o livre para só nos atender quando o que pedirmos for para a nossa felicidade. Que seja feita sempre a vontade de Deus!

Fonte:http://bemzen.uol.com.br
Axé

Nenhum comentário:

Postar um comentário