VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Vencendo sua guerra interna




  1. Blog Ivanih Bianco
    Consultas com hora marcada, pessoalmente ou por telefone (Pagamento por depósito bancário) Ligue e marque seu horário: 19-3462-9248
    Americana-SP


    Despertar a consciência ajuda a se livrar de sentimentos negativos
    por Fernando Belatto

    Já se falou sobre o Guerreiro Interno, aquele que possibilita que as virtudes desabrochem na direção de suas maiores conqu...istas. Mas convenhamos que se existe um Guerreiro Interno é porque também existe uma guerra interna, na qual estamos inseridos, não é mesmo? Mas por que essa guerra interna existe? E o principal: será que ela tem o intuito de nos derrubar, de não nos deixar crescer?
    Pois é, meus amigos. Na minha visão, a guerra é a mestra do Guerreiro, e graças a ela poderemos, então, chegar à paz duradoura. A paz verdadeira, consciente ou inconscientemente, costuma ser um objetivo na vida de todos nós. Afinal, quem não quer estar em paz, vivendo um estado de alegria e harmonia com todas as coisas desse mundo?
    Porém, paz é sinônimo de consciência. E esta costuma ser aprendida em momentos difíceis que enfrentamos no cotidiano. Quando nos tornamos (em níveis globais) mais maduros, passamos a aprender mais pelo amor. Mas também acredito que durante as dificuldades, se tivermos uma postura de presença e observação, criaremos o campo necessário para aprender com a situação e até agradecer por ela depois. Por exemplo, quando enfrentamos uma perda ou um rompimento de relacionamento enfrentamos, às vezes, as dores mais difíceis de nossas vidas. Mas se você tiver o seu Guerreiro Interno acordado, você poderá reverenciar esse momento, aceitando-o, mergulhando para dentro dele e retirando das situações difíceis muitos belos ensinamentos.
    Muitas vezes, depois destas tremendas batalhas, nós crescemos muito e vamos ficando cada vez mais conscientes de nossas falhas. Nesse caso, não mais agimos através de nossas fraquezas, e sim de nossa força interior, a qual é altruísta e benfeitora.
    Você está na guerra?

    A guerra interna pode ser definida como qualquer estado que nos deixa fora de nosso centro, do equilíbrio, ou seja, ansiedade, depressão, ira, tristeza, etc. Viver esses sentimentos é sinal de que você perdeu seu centro e está em uma batalha interna, com a mente agitada e, muitas vezes, sem saber para onde ir. Mas vale reforçar que nós não somos a guerra, somente podemos estar nela.
    Por outro lado, quando você está presente no seu "centro", então sente paz, harmonia e sua mente serena. O caminho do Guerreiro nos ensina que transitar entre estes dois estados de forma observadora, sem se identificar com um ou com outro, é o que nos possibilita desenvolver a nossa consciência!
    Treine seu guerreiro interno e vença as batalhas
    Guerreiro Interno é o nome dado ao nosso lado mais consciente, aquele que nos caminhos de autoconhecimento chamamos de observador. E esta faceta costuma ser muito treinada durante a Meditação. O Guerreiro Interno vive na presença, e isso nos proporciona condições de vencer a batalha. Afinal, é só no aqui e agora que desenvolvemos nossa consciência, a qual cria o campo para a virtude da paz se manifestar.
    Andamos tão agitados nos dias de hoje, que muitas vezes não percebemos o que estamos comendo, não conseguimos sequer lembrar o que almoçamos. Isso significa que não estamos presentes no agora. Por outro lado, quando conseguimos, nem que seja por alguns instantes, focar a atenção no momento atual, abrimos espaço para a essência da vida se manifestar. Percebemos o perfume e a beleza da flor, o sorriso da pessoa amada, aquele lindo pássaro voando... Conseguimos perceber que tudo é perfeito assim, como é.
    Sendo assim, quando não estamos presentes no agora, automaticamente nos identificamos com a guerra, com aqueles sentimentos de níveis inferiores que nos levam cada vez mais para buracos profundos. Nós achamos que somos a tristeza, a ansiedade, a depressão, etc. E acabamos caindo no esquecimento de nossa essência. Quando, então, passamos ao estado de observador, nos tornamos Guerreiros e vamos conseguindo nos libertar daqueles sentimentos negativos, olhando a guerra interna como espectadores. Começamos a aprender com as batalhas, tiramos nossas conclusões (baseados na experiência real) e desenvolvemos a nossa consciência.
    Esse é o caminho do Guerreiro: buscar a sua evolução, observando cada guerra, cada momento difícil, com o intuito de não mais cair em batalhas, e sim, cada vez mais, sustentar a paz!
    Concluímos, então, que da mesma forma que a paz é sinônimo de consciência, a guerra é de inconsciência. O estado de presença nos possibilita transmutar de um para o outro, e o Guerreiro Interno (nosso lado observador) é quem está pronto para ser treinado e conquistar os territórios para a nossa vitória.
    Desta forma, sugiro que cada um de nós medite (nem que seja 5 minutinhos por dia), para assim fortalecermos o nosso Guerreiro Interno e irmos, pouco a pouco, despertando a nossa consciência amorosa.

    Fiquem na paz!

    Fonte: Aqui e agora meditando
    Axé

Nenhum comentário:

Postar um comentário